domingo, 9 de maio de 2021

Sinal digital de TV já chega a 90% dos brasileiros

Em continuidade à iniciativa criada em 2014 no leilão do 4G, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o Ministério das Comunicações planejam, até 2023, desligar completamente o sinal analógico de transmissão de televisão aberta no Brasil. A ação visa liberar a frequência que é usada para a transmissão da internet 4G, que terá o alcance ampliado nacionalmente juntamente com o leilão de novas frequências para a internet 5G.

“A introdução de novas tecnologias no espectro eletromagnético leva ao procedimento que é chamado de limpeza de faixa. Temos um serviço que ocupa a faixa e, para que o novo seja implementado, o antigo precisa sair. No 4G, tivemos que limpar a faixa de 700 megahertz (MHz). Agora, no 5G, precisamos limpar a faixa de 3,5 gigahertz (GHz)”, explicou o secretário de Radiodifusão do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinhão.

Uma das faixas citadas por Martinhão, a de 700 MHz, é ocupada atualmente pelo sinal analógico de televisão aberta em áreas onde o 4G ainda não está implementado. Segundo dados do Ministério das Comunicações, cerca de 10% da população brasileira ainda usa o serviço – algo que o programa Digitaliza Brasil busca zerar até o prazo estabelecido pela Anatel.

A outra faixa, de 3,5 GHz, é atualmente utilizada por satélites para transmitir o sinal de TV aberta para antenas parabólicas. Essa frequência sofrerá migração da chamada Banda C para a nova Banda Ku, e será futuramente ocupada pelo sinal do chamado 5G standalone, ou 5G puro. O Ministério das Comunicações estima que haja 20 milhões de parabólicas em uso no Brasil.

Digitaliza Brasil

Para garantir o direito constitucional dos brasileiros ao sinal aberto de televisão, o programa Digitaliza Brasil foi criado pelo governo para resolver os impasses trazidos pela transição do analógico para o digital.

Segundo o edital do leilão do 5G, as empresas que tiverem lances vencedores nas frequências terão, como contrapartida, que arcar com os custos de transição para famílias de baixa renda que forem dependentes dos serviços atuais para captar sinais.

O governo federal também paga parte do custo de transição. Segundo o Ministério das Comunicações, recursos públicos estão sendo empregados para levar o chamado kit de conversão a mais de 1,6 mil municípios. “Famílias credenciadas em programas de assistência do governo também vão receber, sem custo, o kit de conversão”, afirmou Maximiliano Martinhão.

Brasil: referência na transição

Martinhão avalia que, apesar dos números altos de famílias e residências que ainda usam as tecnologias de recepção de sinal ultrapassadas, as ações brasileiras durante o processo de transição do sinal analógico para o digital são exemplares e cumpriram os prazos estabelecidos de maneira harmoniosa, sem prejuízo para a população.

“Com a interação construída pelo Ministério das Comunicações e a Anatel entre o setor de telecomunicações e o setor de radiodifusão, conseguimos realizar o desligamento de maneira tranquila, não tivemos qualquer dificuldade. Com o aprendizado que temos, não tenho dúvidas de que continuaremos como exemplo para o mundo”, afirmou o secretário em relação ao desligamento dos 10% restantes.

Martinhão afirmou que os mecanismos de investimento para custear a transição total do analógico para o digital estão presentes nos termos do leilão 5G, assim como os prazos estabelecidos.

Famílias cadastradas no CadÚnico que declararam televisores analógicos em casa poderão agendar a retirada dos kits pela internet pelo portal criado pela Anatel.

 

sexta-feira, 7 de maio de 2021

Cepa descoberta no Rio tem potencial de contágio e letalidade desconhecidos

Descoberta pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) na quinta-feira (6), a nova variante do coronavírus, encontrada em 11 dos 92 municípios fluminenses, segue em estudo por pesquisadores, que querem descobrir se ela é pode ser mais transmissível ou letal que as outras 34 já em circulação pelo estado.

Ela foi batizada como P.1.2, por ter uma mutação ocorrida em relação à P.1, descoberta em Manaus e que se tornou prevalente no Rio de Janeiro e em outros estados.  A principal mutação apresentada, segundo a pesquisa, é a A2622, na proteína S.

Líder do estudo, a pesquisadora Ana Tereza Vasconcellos, do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, explica as próximas etapas do estudo. 

“Ainda não sabemos se essa é uma variante mais contagiosa ou letal. Isso ainda vai levar tempo, porque ainda precisamos isolar o vírus, infectar as células, é um processo laboratorial, que vai durar algumas semanas. É um procedimento que estamos fazendo em parceria com outros laboratórios e institutos”, afirmou a especialista à CNN

Para a pesquisadora, não é possível garantir que a P.1.2 tenha os mesmos graus de transmissibilidade e letalidade que a P.1, apenas por ter sido originada dela. “É cedo para saber, isso ainda precisa ser estudado. Por isso, é necessário manter todos os cuidados feitos até então”, concluiu. 

De acordo com o sequenciamento genético conduzido pela SES, a P.1.2 já responde por 5,85% dos casos registrados no estado e é a segunda mais frequente, atrás apenas da P.1, que responde por 91,49% das ocorrências. A P.2, que era prevalente antes da chegada da cepa de Manaus, responde, atualmente, por apenas 0,52%. 

Esses números são oriundos de análises de genomas feitas pelo Laboratório Central Noel Nutels (Lacen/RJ), entre os dias 24 de março e 16 de abril. No estado, ela foi localizada no Norte  Fluminense, na Região Metropolitana e na Baixada Litorânea (Região dos Lagos).

 

Aprovado projeto que prorroga suspensão de pagamentos ao Fies

O Plenário aprovou a suspensão dos pagamentos ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) até 31 de dezembro deste ano, por causa dos prejuízos econômicos causados pela pandemia.

Para o relator do projeto (PL 1.133/2021), senador Dário Berger (MDB-SC), a prorrogação ajudará a manter os vínculos de estudantes com as instituições de ensino.

O FIES é o Fundo de Financiamento Estudantil, um programa do Ministério da Educação (MEC) que ajuda universitários de baixa renda a pagar as mensalidades de cursos presenciais em faculdades privadas.

Fonte: Agência Senado

Com salário de até R$ 10 mil, UFRN abre concurso para professor do IMD

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) abriu concurso público para professor do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico para atuar no Instituto Metrópole Digital (IMD). A seleção, que disponibiliza uma vaga, tem remuneração de até R$ 10 mil, conforme titulação do candidato, e será voltada para a área de Desenvolvimento para Dispositivos Móveis e Web.

Os interessados podem realizar inscrição através do Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH), no qual se encontram o formulário e o Edital 031/2021. As inscrições estarão abertas a partir do dia 24 deste mês até o dia 17 de junho.

A taxa de inscrição, no valor de R$ 100, poderá ser efetuada até o dia 22 de junho. Caso o candidato tenha solicitado a isenção da taxa, o resultado da análise dos pedidos será divulgado no site da SIGRH e da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp), na data provável de 16 de junho.

O candidato precisará ter graduação em Computação e o prazo de validade do concurso público será de dois anos, prorrogável uma vez, por igual período.

Processo seletivo

A seleção consistirá em quatro etapas: prova escrita, prova didática, Defesa de Memorial e Projeto de Atuação Profissional e prova de títulos. A prova escrita está marcada para o dia 5 de setembro e as demais etapas ocorrem entre os dias 6 e 12 do mesmo mês.

A composição das bancas examinadoras e os calendários de provas estão previstos para serem divulgados em Nota Informativa nos sites do SIGRH e da Progesp a partir do dia 2 de agosto. Caso ainda permaneça o estado de calamidade pública, provocado pelo Coronavírus, uma série de normas de biossegurança serão aplicadas.

 

Trabalhadores nascidos em junho podem sacar auxílio emergencial

Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal.

Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em junho podem sacar, a partir de hoje (7), a primeira parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro havia sido depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 18 de abril.

Os recursos também poderão ser transferidos para uma conta corrente, sem custos para o usuário. Até agora, o dinheiro podia ser movimentado apenas por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), de boletos, compras em lojas virtuais ou compras com o código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de estabelecimentos parceiros.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante quatro meses, prevê parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Regras

Pelas regras estabelecidas, o auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

 

Brasil tem mais de 15 milhões de casos confirmados

O Brasil superou a marca de 15 milhões de pessoas infectadas com o coronavírus desde o primeiro caso, em fevereiro de 2020. Nas últimas 24 horas, foram confirmados 73.380 novos diagnósticos positivos. Com isso, o total de casos acumulados chegou a 15.003.563. Ontem, o sistema de dados da pandemia estava em 14.930.183.

Ainda há no país 995.279 casos em acompanhamento. O termo é empregado para as pessoas infectadas e com casos ativos de contaminação pelo novo coronavírus.

Já o total de vidas perdidas para a pandemia subiu para 416.949. Ontem e hoje, foram registradas mais 2.550 mortes. O sistema de dados do Ministério da Saúde registrava ontem 414.399 mortes pela doença.

Ainda há 3.693 óbitos em investigação. Isso ocorre porque há casos em que um paciente morre, mas a causa continua sendo apurada mesmo após a declaração do óbito.

Conforme a atualização desta quinta-feira, o Brasil tem 13.591.335 pessoas que se recuperaram da covid-19 desde o início da pandemia. Isso equivale a 90,6% do total de pessoas que foram infectadas com o vírus.

Os números são em geral mais baixos aos domingos e segundas-feiras em razão da menor quantidade de funcionários das equipes de saúde para realizar a alimentação dos dados nos fins de semana. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pelo envio dos dados acumulados.

Estados

O estado que registra mais mortes pela covid-19 é São Paulo (99.406). Em seguida, vêm Rio de Janeiro (45.914), Minas Gerais (35.165), Rio Grande do Sul (25.668) e Paraná (23.493).

Já na parte de baixo da lista, com menos vidas perdidas para a pandemia, estão Roraima (1.533), Acre (1.568), Amapá (1.573), Tocantins (2.630) e Alagoas (4.329).

 

Alerta: Aplicativos não-oficiais da Caixa somam mais de 5 milhões de downloads

O dfndr lab, laboratório de cibersegurança da PSafe, encontrou e analisou 49 aplicativos não oficiais da Caixa Tem e do Auxílio Emergencial, disponibilizados para download na loja oficial de aplicativos Android. Após a verificação, a equipe notou que todos apps analisados tinham finalidade informativa, contendo tutoriais para o cadastro no auxílio ou instruções sobre como os interessados podem verificar se estão com nome sujo. Até o momento, os apps não oficiais já somam mais de 5.224.900 downloads.

O diretor do dfndr lab, Emilio Simoni, no entanto, alerta sobre o risco de baixar aplicativos não-oficiais, especialmente de fontes desconhecidas. “É uma prática comum dos cibercriminosos criar aplicativos que usem indevidamente os nomes de outros serviços para atrair o público”, conta. Ao baixar o aplicativo não oficial, a pessoa pode ser induzida a inserir seus dados pessoais para obter informações que deseja.

Por essa razão, esses apps são classificados como riskwares, ou seja, um aplicativo que representa risco. “Apesar de, no momento, esses apps não apresentarem comportamento malicioso, há chances de terem suas características modificadas através de uma atualização e apresentar riscos para os dados dos usuários”, explica o especialista.

Simoni ressalta que o mesmo tipo de aplicativo não oficial foi detectado pelos pesquisadores do dfndr lab há um ano, quando o Governo lançou o cadastro para o benefício. “Detectamos mais de 250 apps falsos ou não oficiais, que utilizavam indevidamente o nome do Auxílio Emergencial para atrair pessoas que desejavam fazer o cadastro. Muitos deles, após reunirem milhões de downloads, tiveram suas características modificadas e se tornaram meios para roubo de dados”, relembra.

Saiba identificar aplicativos falsos e se proteger:

– Utilize soluções de segurança no celular que realizam a detecção automática de aplicativos maliciosos (malwares), como o dfndr security.

– Busque sempre fontes oficiais do Governo para baixar aplicativos de benefícios oferecidos pelo Governo, e sites oficiais dos bancos para o download de apps bancários.

– Jamais forneça dados pessoais ou bancários em links ou aplicativos de procedência desconhecida.

– Para saber se um aplicativo é confiável, verifique quem é o desenvolvedor do app, leia as avaliações de usuários e desconfie, caso sejam insuficientes ou negativas.

 

Nova campanha de negociação de débitos da Caern começa na próxima terça

A Caern vai abrir mais um período de negociação de débitos em atraso para que os clientes que estão com contas em aberto possam regularizar a situação. O prazo começa na próxima terça-feira (11) e vai até o dia 15 de junho. A campanha de negociação abrange todas as faturas não quitadas com vencimento anterior a março de 2021.

De acordo com a Caern, as condições de negociação incluem a possibilidade de parcelar a dívida em até 36 meses, com entrada de 10% do valor total. Também haverá a dispensa de juros e multa. Segundo o superintendente Comercial da companhia, Giordano Filgueira, as faturas de abril podem ser incluídas no parcelamento, mas nesse caso não há a dispensa dos juros e multa. 

O interessado pode negociar sua dívida até mesmo nos casos em que tenha um parcelamento anterior. Nesse novo acordo, o percentual do valor de entrada é de 20% do total. 

Os clientes interessados podem fazer o parcelamento por vários canais. Ele pode fazer pelo Whatsapp (84) 98137-2343, na Agência Virtual (caern.com.br), através do link parcelamento de dívidas, ou nos escritórios de atendimento, mediante agendamento prévio na Agência Virtual ou no endereço agendamento.caern.com.br.

Também é possível negociar as faturas com o cartão de crédito, sem entrada, com isenção de juros e multas, em até 12 vezes e com parcela mínima de R$ 5. A forma de negociação é a mesma da outra modalidade.

 

Senac RN abre mais 250 vagas gratuitas para cursos de biossegurança e prevenção à covid-19

O Sistema Fecomércio RN, por meio do Senac abriu, na quinta-feira (6), a partir das 14h, as inscrições para profissionais que desejarem participar dos cursos gratuitos focados no Plano de Retomada Gradual da Atividade Econômica do RN. Nesta etapa, serão ofertadas mais 250 vagas para os cursos de Boas Práticas de Prevenção à Covid em Meios de Hospedagem, Alimentos e Bebidas, Serviços Receptivos, e Creches e Escolas. As inscrições deverão ser realizadas no site rn.senac.br.

Os cursos serão on-line, com duração de 20 horas-aula, e terão como foco habilitar os profissionais para se adequarem às normas de biossegurança exigidas para o retorno das atividades no contexto da pandemia da Covid-19. A seleção dos candidatos será feita de acordo com a ordem de inscrição no site.

“Ao todo, o Sistema Fecomércio RN já ofereceu mais de 10 mil vagas em cursos para capacitar profissionais e adequar empresas às normas sanitárias exigidas neste contexto de retomada da atividade econômica. Mais de 2.500 destas vagas foram gratuitas. Trata-se de uma ação que colabora diretamente para a economia do nosso Estado, pois ela qualifica os profissionais e, consequentemente, oferece a garantia de que clientes, consumidores e turistas irão usufruir de um serviço seguro”, afirma o presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Queiroz.

Os cursos serão ofertados através do Programa Senac de Gratuidade (PSG), que é mantido por recursos da contribuição compulsória das empresas de médio e grande portes para o Senac. As capacitações abordam de maneira multidisciplinar as diretrizes gerais de saúde conforme orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), bem como a utilização dos equipamentos de proteção individual e a humanização do atendimento. Ferramentas para adequação dos pequenos negócios para a nova realidade de mercado também são temas contemplados nas capacitações. As aulas iniciam no próximo dia 17 de maio.

Serviço:

Cursos Gratuitos Senac RN – Plano de Retomada Gradual da Atividade Econômica

Período: 6 a 11 de maio

Inscrição: rn.senac.br

Vagas: 250

Início das Aulas: 17 de maio

 

quinta-feira, 6 de maio de 2021

Solidariedade

Estamos realizando uma Ação Social para arrecadar alimentos em prol do amigo Marinaldo Davi da Cruz conhecido como Bobuleta  que encontra-se enfermo com gordura no fígado e com um problema grave na Próstata, o mesmo reside na Rua Elita Dantas, quem quiser fazer qualquer doação de alimentos só entrar em contato pelo tel. (84) 987225025 - Luciano, que iremos buscar. Estaremos também arrecadando ajuda em dinheiro para custeio dos medicamentos. Ajude a quem precisa porque Deus não esquecerá
 

terça-feira, 4 de maio de 2021

Patrulha Maria da Penha cria plataforma de dados para retratar violência contra a mulher

A Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) inseriu uma plataforma virtual de alimentação de dados referentes as ações desenvolvidas pela Patrulha Maria da Penha em Natal. O plano é construir um banco de informações que contribua para retratar a violência contra a mulher no âmbito da capital potiguar.

A secretária da Semdes, Sheila Freitas, explicou que a ideia é coletar o máximo de informações sobre a situação da violência doméstica tendo como canal de abastecimento o trabalho operado pela Guarda Municipal do Natal na atuação da Patrulha Maria da Penha. “Estamos realizando um trabalho de proteção à mulher muito importante e agora pretendemos ampliar gerando dados que possam contribuir com a construção de políticas públicas e com diagnósticos de atuação na prevenção dessas vítimas”, comentou.

A coordenadora da Patrulha Maria da Penha, GM Michely Oliveira, informou que a inserção dessas informações será feita pelos guardas municipais que atuam na Patrulha, buscando potencializar o trabalho de amparo, proteção e combate a violência doméstica na cidade. “Todos os dados serão inseridos nas fichas individuais das mulheres assistidas pela Patrulha, nos formulários de visitas e outros documentos, sendo tudo através do smartfone ou tablet”, contou.

A plataforma vai conter informações das vítimas de violência doméstica compreendendo classe social (financeira), tempo de convivência com o agressor, quantidade de boletins de ocorrência registrados, nível de escolaridade, região que reside, quantidade de filhos, situação no mercado de trabalho, entre outras. “São dados que mostram o perfil socioeconômico e psicológico das mulheres, como também registraremos as demandas que não sejam de segurança pública como saúde, educação e jurídica, e esse banco de poderá alimentar pesquisas e nortear medidas de proteção”, relatou a coordenadora.

Outro ponto importante que vem sendo trabalhado na Patrulha Maria da Penha de Natal é a implantação de normas e procedimentos operacionais no atendimento as diversas situações de agressão doméstica. A medida padroniza o trabalho operado pelos guardas municipais e dentro dessa ótica já estão ocorrendo reuniões com os guardas que agem diretamente na Patrulha.

Um total de mais de 40 mulheres vítimas de violência doméstica na capital estão recebendo proteção assídua da Patrulha Maria de Penha. No sistema de monitoramento aplicado pelas guarnições da GMN estão sendo empregados rotas de patrulhamento diário nas áreas de residência e trabalho dessas mulheres, visitas domiciliares, acompanhamento via telefone e outras ações.

 

Prefeitura de Cruzeta abre Processo Seletivo

O Resultado final sairá no dia 15 de junho de 2021

A Prefeitura Municipal de Cruzeta, através da Secretaria Municipal de Administração, lançou  o edital do processo seletivo www.diariomunicipal.com.br/femurn/ e no Site Oficial do Governo Municipal cruzeta.rn.gov.br/noticias/processo-seletivo-simplificado-001-2021/ O documento foi publicado na edição desta segunda-feira, 3 de Maio, no Diário Oficial da FEMURN. Ao todo, são vagas para profissionais de nível fundamental, médio e superior. Com salários que variam de R$1.100,00 a R$11.517,00.

A comissão organizadora do certame, afirma que o candidato pode tirar qualquer dúvida referente ao Processo Seletivo Simplificado pelo o telefone (84) 3473-2210. Reiteramos que o candidato se atente as normas do edital.

As inscrições iniciam quarta-feira, dia 05/05/2021 e podem ser feitas até sexta-feira, dia 07/05/2021, horário das 07h30 min às 11h30 min, na sede da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte.

A solicitação será feita exclusivamente de forma presencial com a taxa de inscrição de 1 KG de Alimento não perecível.

Resultado:

O Resultado final sairá no dia 15 de junho de 2021.

O Processo Seletivo Simplificado será válido por 1 (um) ano a contar da data de homologação do seu resultado no diário oficial da FEMURN, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da administração pública municipal.

 

Trabalhadores nascidos em março podem sacar auxílio emergencial

Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em março podem sacar, a partir de hoje (4) a primeira parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro havia sido depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 11 de abril.

Os recursos também poderão ser transferidos para uma conta corrente, sem custos para o usuário. Até agora, o dinheiro podia ser movimentado apenas por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), de boletos, compras em lojas virtuais ou compras com o código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de estabelecimentos parceiros.

Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante quatro meses, prevê parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Regras

Pelas regras estabelecidas, o auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.